em , , ,

Jair Bolsonaro levou 17 inúteis para passear em Nova York

Enquanto a equipe do presidente Jair Bolsonaro mentia para seus apoiadores nas redes sociais sobre como Bolsonaro é econômico ao comer pizza na sarjeta da cidade, a verdade é que a comitiva do presidente é a maior já registrada por um representante brasileiro para para a assembléia-geral da ONU.

A verdade é que com 17 integrantes oficiais e nenhum motivo para justificar os gastos públicos com a viagem, já que ninguém teve agenda oficial fora o presidente, a viagem de Bolsonaro foi a que mais agregou desocupados nas últimas décadas – empatando somente com o próprio Bolsonaro de 2019, que também levou oficialmente 17 pessoas, mas sem contar o secretário de Comunicação Fábio Wajngarten e o assessor internacional Filipe Martins, que não estavam na lista oficial, mas estavam mamando nas tetas do governo.

Os ministros Carlos Alberto França (Relações Exteriores), Anderson Torres (Justiça), Marcelo Queiroga (Saúde), Joaquim Pereira Leite (Meio Ambiente), Gilson Machado (Turismo), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria-geral), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), além de Flávio Rocha, da secretaria de Assuntos Estratégicos, e Pedro Guimarães, presidente da Caixa aparentemente estiveram gastando às custas do bolso dos brasileiros apenas para bajular o presidente Bolsonaro, apenas o titular do Turismo e o do Meio Ambiente registraram compromissos paralelos, ligados a temas de interesse de suas pastas.

A cereja do bolo foi o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), que compôs a comitiva, mas não divulgou nenhum compromisso em Nova York, apenas foi vaiado enquanto passeava pela Apple Store da cidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

GIPHY App Key not set. Please check settings

Jair Bolsonaro mente até não poder mais em discurso na ONU

CPI mostra que Luciano Hang vendeu a morte da própria mãe!