em , ,

KakakaKakaka Eita!Eita! ChoreiChorei

Turma do Zé Colmeia invade o Capitólio e causa balbúrdia no coração dos Estados Unidos

Com um orçamento de defesa anual de 750 bilhões de dólares – alguns zilhões de reais na cotação atual, neste dia 6 de janeiro ficou explícito que os Estados Unidos são campeões da justiça e segurança somente no campo da ficção.

Com o mundo todo vendo, enquanto o vice-presidente Mike Pence estava reunido com o senado e congresso no Capitólio dos Estados Unidos, o ainda presidente Donald Trump incitava uma turba para marchar e invadir a cerimônia de certificação do eleito Joe Biden como presidente.

Informado com sua derrota nas eleições, que também levou o partido republicado a perder o controle do Senado ao ser derrotado na Geórgia, estado favorito dos Bolsonaros – tanto que a neta do presidente foi batizada em homenagem ao estado – agora – democrata, o presidente dos Estados Unidos literalmente pediu para os apoiadores republicanos colocarem terror no coração dos senadores e congressistas que, segundo Trump, lhe roubaram as eleições de modo tão eficaz que nenhuma prova foi encontrada, mesmo com mais de sessenta processos abertos e descartados nos estados onde Trump perdeu para Biden.

Voltando ao 6 de janeiro de 2020, a TV do Senado dos Estados Unidos transmitiu ao vivo o vice-presidente interromper abruptamente um partidário para suspender o evento e ser escoltado para fora por seus agentes de segurança, enquanto os canais de televisão registravam cenas impressionantes dos manifestantes invadindo sem grandes problemas o centro político dos Estados Unidos, a ponto de encurralarem os congressistas e senadores por horas.

Enquanto nos cinemas os Estados Unidos vendeu por décadas uma imagem de super-nação, com a pandemia no último ano a realidade já aprontava das suas. Abraçado politicamente com o mesmo pensamento atrasado que governa o Brasil, o governo Trump falhou em combater com seriedade a pandemia e viu o povo americano escolher os democratas para lidar com a crise.

 

Contestando o resultado das eleições por semanas e embalado pela desinformação gerada nas mídias sociais, Trump levou milhões de pessoas a crerem que as eleições foram fraudadas pelos democratas, dobrando ainda sua aposta ao pressionar seu vice-presidente a rasgar a constituição dos Estados Unidos para manter seu poder.

Não conseguindo, restou ao presidente Trump se aproveitar das pessoas com baixa capacidade intelectual – facilmente manipuláveis, como vemos com os eleitores do bolsonarismo, que haviam se deslocado de todo país para protestar, que buscassem confronto direto.

O resultado o mundo todo presenciou, o ‘país mais seguro do mundo’ teve seu cérebro invadido por uma horda de brancos caipiras que literalmente não sabiam o que fazer então, passando a maior parte do tempo produzindo conteúdo insignificante para pessoas que compartilham as mesmas limitações ideológicas.

Já na madrugada o vice-presidente, congresso e senado retomaram seu trabalho e finalizaram a certificação de Joe Biden como próximo presidente.

Tamanha ineficácia das forças de segurança em proteger o prédio mais importante dos Estados Unidos não tem explicação cabível, resta torcer para que os Americanos consigam se reerguer após um dos momentos mais lamentáveis de sua história moderna.

Deixe uma resposta

Avatar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

GIPHY App Key not set. Please check settings

Pazuello: “Os esforços do Ministério da Saúde e do presidente Bolsonaro são no sentido de que a vacinação comece ainda neste século”

Pazuello: “Os esforços do Ministério da Saúde e do presidente Bolsonaro são no sentido de que a vacinação comece ainda neste século”

“A vacinação terá início no ‘dia D’ de demente, na ‘hora H’ de hospício”, diz Eduardo Pazuello; vídeo