em

Caso Battisti: traição de Evo Morales e Polícia Federal seguindo sinal fantasma

Foto: El País

Entregue hoje (14) às autoridades italianas, Cesare Battisti foi traído. Em fuga há trinta e sete anos por graves crimes cometidos na Itália, o terrorista protagonizou um baile histórico na Polícia Federal brasileira mas acabou sendo entregue de mão beijada pelo governo de Evo Morales a quem Battisti cometeu o equívoco de confiar e pedir abrigo.

Sem a envergadura política e econômica do Brasil e isolado internacionalmente, o presidente boliviano não quis arriscar conceder asilo ao italiano e autorizou a sua polícia a entregar o condenado à policiais europeus que o levaram direto ao seu país. O governo brasileiro tentou, sem sucesso, que fosse feita uma escala no Brasil onde Battisti seria apresentado como um troféu do governo Bolsonaro.

Italiano enganou Polícia Federal do Brasil

Em fuga por quase um mês, os policiais brasileiros rastrearam sinais supostamente emitidos pelo celular de Battisti e fizeram dezenas de incursões atrás do condenado. Chegaram a fazer vistorias em barcos na Amazônia e casas de amigos e ex-advogados do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva.

Enquanto seguia um sinal fantasma, ou emitido por alguém em posse do celular de Battisti, o italiano já estava instalado na Bolívia onde deu entrada a um pedido de asilo político.

Evo Morales trai italiano e entrega a sua localização

Ao ser comunicado sobre a oficialização do pedido de asilo político do terrorista italiano, Evo Morales tinha a possibilidade de chancelar a sua permanência na América do Sul, estentendo a sua longa fuga das autoridades italianas. Por mais ameaças que fossem eventualmente feitas pelo governo brasileiro, jamais o país vizinho seria vítima de um ataque ou de restrições econômicas profundas. O Brasil é dependente da produção de gás natural da Bolívia e Evo já fez gestos de aproximação com o novo governo brasileiro ao prestigiar a posse de Bolsonaro.

Além de não conceder o asilo, foi de Evo o aval para que os policiais do país, em parceria com italianos, fizessem a prisão de Battisti no endereço por ele indicado no pedido de permanência em território boliviano

Avatar

Publicado por Marcelo Adifa

Jornalista e escritor. Autor de diversos livros de comunicação e literatura.
contato: [email protected]

11 tuítes de Jair Bolsonaro em 11 dias de governo

Cancelada pelo Governo do Rio, performance artística é realizada no meio da rua