em

Bolsonaro recua da proposta de eliminar o dia 29 de fevereiro do calendário: “Seria um dia inteiro sem o meu governo falar besteira”

Este texto é de conteúdo satírico, ou seja, sem compromisso com a verdade.

#Humor Bolsonaro recua da proposta de eliminar o dia 29 de fevereiro do calendário: “Seria um dia inteiro sem o meu governo falar besteira”.

O ano de 2020 é bissexto e Jair Bolsonaro ficou sabendo, por meio de um de seus assessores, que isso significa que o mês de fevereiro tem 29 dias. De posse dessa informação, que devia ter sido adquirida no primário, ele teve a brilhante ideia de eliminar esse último dia de fevereiro do calendário.

Tudo isso para eliminar vinte e horas de possibilidades do governo Bolsonaro falar ou fazer alguma besteira.

Ele chegou a recorrer ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que, apesar de chileno de nascimento, fez a egípcia e não se pronunciou sobre o assunto.

“O Maia é quem entende de calendário, mas ele não se interessou em colaborar nessa ‘cuestão’ daí”, disse o chefe do clã.

Ele só desistiu da ideia depois de tomar um dos comprimidos controlados do Carluxo.

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0
Avatar

Publicado por Francisco da Chaga Mendes

Um intelectual de várzea.

Economistas já começam a chamar o dólar de “Michael Phelps” por conta do número de recordes batidos pelos dois americanos.

Economistas já começam a chamar o dólar de “Michael Phelps” por conta do número de recordes batidos pelos dois americanos

Carluxo, quando apaixonado e devidamente correspondido, twitta pouco: “Ele diz que é feio falar de boca cheia”, alegam amigos.

Carluxo, quando apaixonado e devidamente correspondido, twitta pouco: “Ele diz que é feio falar de boca cheia”, alega amigo