em

“A gente nem pode chamar um negro de preto que o crioulo já se ofende”, diz Bolsonaro em defesa da repercussão de comentário racista

Este texto é de conteúdo satírico, ou seja, sem compromisso com a verdade.

“A gente nem pode chamar um negro de preto que o crioulo já se ofende”, diz Bolsonaro em defesa da repercussão de comentário racista.

Jair Bolsonaro adicionou mais uma declaração racista ao seu currículo. Dessa vez a situação ocorreu em uma de suas famigeradas lives.

A vítima foi o deputado Hélio Lopes, popularmente conhecido como Hélio Negão, mas que se apresenta a todos como Hélio Bolsonaro.

Bolsonaro disse que Hélio deu uma “queimadinha” por ter demorado a nascer.

“Eu não sou racista e todo mundo sabe disso, pelo amor de Deus! Vocês esqueceram que eu levei esse filhote de quilombola de sete arrobas para o Japão? Isso a imprensa marrom não diz.”

Bolsonaro chegou à presidência do Brasil e, agora, conseguiu alcançar o posto de figura pública do país com o maior número de declarações racistas. Estamos falando do maior colecionador brasileiro de frases infelizes contra as minorias.

“Mito!”, gritou um bolsominion enquanto este texto estava sendo redigido.

Opiniões

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando

0
Avatar

Publicado por Francisco da Chaga Mendes

Cabeça, tronco, membros e álcool em gel.

#Humor José Serra comenta o atentado contra Cid Gomes: “Armas de fogo são quase tão letais quanto bolinhas de papel!”

José Serra comenta atentado contra Cid Gomes: “Armas de fogo são quase tão letais quanto bolinhas de papel!”

Economistas já começam a chamar o dólar de “Michael Phelps” por conta do número de recordes batidos pelos dois americanos.

Economistas já começam a chamar o dólar de “Michael Phelps” por conta do número de recordes batidos pelos dois americanos