em , ,

Carlos França, chanceler brasileiro, é esnobado e não será recebido pelo governo francês

Carlos França nunca teve uma carreira prodigiosa, porém como muitos no governo Bolsonaro, soube apoiar o negacionismo e acabou (criticado) na posição de chanceler do Brasil.

O chanceler brasileiro Carlos França desembarcou nesta semana em Paris para a reunião ministerial da OCDE. Mas não será recebido pelo ministro de Relações Exteriores da França, Jean-Yves Le Drian. A coluna apurou que o Itamaraty solicitou um encontro com o representante do governo de Emmanuel Macron, porém o governo francês não se mostrou interessado em encontrar o negacionista Carlos França. Uma verdadeira vergonha cada dia mais pública.

A reportagem do site UOL apurou com a notícia que existe um movimento por parte dos franceses de evitar qualquer envolvimento maior com o governo brasileiro de Jair Bolsonaro, mostrando que a promessas vazias e falta de credibilidade do Brasil nunca estiveram pior.

Macron, presidente da França, passou a ser um dos principais opositores à ratificação do acordo comercial entre o Mercosul e a União Europeia, sob o argumento de que as políticas ambientais do país não atendiam os critérios europeus. Além disso agora o presidente francês também utiliza Bolsonaro como vilão para buscar reeleição.

Por fim, Luis Fernando Serra, embaixador do Brasil em Paris, também é outra vergonha nacional e chegou inclusive a fugir de uma convocatória realizada pelo governo da França para que o Brasil explicasse o ‘combate’ ao desmatamento da Amazônia. Luis Fernando Serra preferiu xingar o jornalismo nas redes sociais do que tratar a questão com seriedade, afundando ainda mais o buraco onde o Brasil se encontra na União Européia.

Parabéns aos envolvidos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

GIPHY App Key not set. Please check settings

Com fome e desemprego, aumenta o consumo de pé de galinha e ossos no Brasil

Mark Zuckerberg reitera mentiras após ex-funcionária denunciar problemas causados pelo Facebook